Estava a chover… a primeira música de Tyroliro transformou um potencial downer num no brainer e à segunda estávamos plantados na frente do palco a levar um banho… de sonoro. Dançar à chuva seria provavelmente a última coisa que esperávamos fazer nessa noite.

Gonçalo Morgado – Crónica Souto Rock 2023

À boleia da presença Irreversível no Souto Rock 2023, desafiamos Giliano Boucinha (Paraguaii, Utter, Colibri) após o concerto na pele de Tyroliro realizado na primeira noite do festival, a responder a algumas perguntas, numa conversa conduzida por Francisco Barros.

Tyroliro | Souto Rock 2023 © Pulsar
Tyroliro | Souto Rock 2023 © Pulsar


Será um dos concertos que levarei comigo para sempre.

Tyroliro


Irreversível – Olá, muito obrigado pela disponibilidade para esta conversa e parabéns pelo novo disco “JABALI” assim como pelo gig neste Souto Rock. Toda a envolvência do festival e somando a inesperada chuva tornou este concerto em algo memorável… concordas?
Tyroliro – Olá viva! Muito obrigado por me receberem tão bem! O concerto no Souto Rock foi um misto de emoções! Antes de entrar em palco tinha sempre presente que queria agarrar o público logo de início e foi um pouco estranho, porque ao entrar no palco percebi que pouca gente, ou quase ninguém, quis resistir à chuva e o público via-o escondido de melhor forma que podiam (risos). Basicamente cavalguei perante a chuva chamando o público até mim e, no momento certo, as pessoas começaram a chegar-se para perto do palco e sentir o groove do concerto. De meio para frente do alinhamento sei que o concerto ganha mais energia pela toada das músicas e aí nesse momento, sim, o tudo ficou memorável! Senti mesmo a energia do público e isso faz com que tudo fique no lugar certo. Será um dos concertos que levarei comigo para sempre.

Irreversível – Quem assistiu a este concerto no Souto Rock verifica facilmente que há nervo enquanto tocam. Esse nervo nasce logo no processo criativo ou é algo que vai crescendo conforme as músicas vão evoluindo nos palcos?
Tyroliro – O processo criativo da composição está sempre presente na parte empática do concerto. Naturalmente quando preparo o concerto tento elevar um pouco a agressividade da sonoridade, é a forma como gosto de ver e sentir os concertos.

Irreversível – Existem diferentes personalidades que separam o Giliano Boucinha, compositor e autor em diferentes projectos, de Tyroliro?
Tyroliro – Sim, sem dúvida, é como teres de vestir determinada roupa para determinada ocasião. Mergulho em águas bem diferentes em Tyroliro do que em Paraguaii, por exemplo. É um processo bastante natural para mim, pois gosto de fazer coisas diferentes e manter as águas separadas o quanto possível. Embora ainda esteja a perceber para onde Tyroliro poderá ir, penso que tem já um traço bastante característico.

Tyroliro | Souto Rock 2023 © Pulsar
Tyroliro | Souto Rock 2023 © Pulsar


Irreversível – Qual é o conceito por detrás desta construção do Tyroliro?
Tyroliro – Tyroliro foi criando o seu conceito ao longo do seu caminho. Mas sei que tive uma preocupação com a imagem do projeto e quis dar-lhe uma roupagem formal para este devaneio musical. Mas sinceramente mais uma vez foi um processo natural, a minha namorada ajudou-me bastante na parte estética e no visual das aparições ao vivo. Há um determinado “vale tudo” em Tyroliro e depois é tentar espremer um bom gosto desse “vale tudo”.

Irreversível – Quais são as tuas fontes de inspiração?
Tyroliro – O segredo é esvaziar um pouco do que vai cá dentro sem pré-conceitos, utilizar as ferramentas certas de composição e na parte técnica tentar refinar o máximo possível.
Gosto muito de surrealismo e penso que isso está bastante presente nas minhas letras. O Minho é outra
grande fonte de inspiração.

Irreversível – Pessoalmente detesto rotular artistas ou bandas, é quase sempre limitativo, mas por vezes é necessário fazê- lo. Se tivesses de explicar o tipo de som que fazes, como o descreverias?
Tyroliro – Há sem dúvida um certo ar de “pimbalhoco” no seu todo, mas algo que roça o limiar do que já não é certo. É aquela iminência de perigo constante, mas que nunca chega a acontecer. Para isso não sei bem rotular. Houve uma malta com quem trabalhei no passado que chegou a um
rótulo de “retrowave minhoto”… e que faz algum sentido e que abraço na minha descrição. Mas pode ser muita mais do que isso (risos).

Irreversível – O que é irreversível?
Tyroliro – Neste momento só me vem a “Monica Belucci” a cabeça.

Tyroliro | Souto Rock 2023 © Pulsar
Tyroliro | Souto Rock 2023 © Pulsar

Deixar um comentário

WP Radio
WP Radio
OFFLINE LIVE